fbpx
Neurovagos Saúde Bem estar Clínica Geral,Pediatria

O tema está na moda e assombra-nos diariamente. Afinal o que é uma pandemia? O que é a COVID-19? Será o mesmo que uma gripe? O que podemos fazer para continuarmos a viver em segurança?

Terminámos 2019 com notícias sobre um vírus que assolou Wuhan na China, em que os doentes apresentavam maioritariamente sintomas respiratórios e em que os casos iniciais estavam relacionados com um mercado local. Víamos imagens de pessoas confinadas nesta província de Hubei, mas achávamos tratar-se de um vírus longínquo. 2020 começou e rapidamente começámos a ouvir relatos de novos casos noutros países cada vez mais próximos – naturalmente, pois vivemos num mundo cada vez mais global. Em 11 de março de 2020 a OMS declarou a situação de pandemia.

  • PANDEMIA: epidemia de uma doença infeciosa que se espalha entre a população em vários países.
  • COVID-19: a doença provocada pelo vírus SARS-CoV2.

Pensa-se que se trata de uma zoonose, ou seja, que tenha tido origem em animais, sendo o pangolim e o morcego as opções mais prováveis.

Sintomas e Grupos de Risco

A maioria das pessoas com COVID-19 apresentam sintomas respiratórios ligeiros a moderados e recuperam sem necessidade de tratamento específico. Existe risco de doença mais grave em pessoas com outras patologias, como por exemplo, doenças cardiovasculares, diabetes, doenças respiratórias crónicas e cancro. 
Os sintomas mais comuns são febre, tosse, dores musculares, fraqueza generalizada e dor de cabeça. Em casos mais graves pode haver dificuldade respiratória. Na suspeita de COVID-19 ligue para a SNS24 e siga as recomendações.

 

Importância do Distanciamento Social

Atualmente, ainda não existe nem tratamento dirigido nem vacina, pelo que a  melhor maneira de nos protegermos bem como àqueles que nos rodeiam, é manter o distanciamento social e a etiqueta respiratória. Se possível, sair de casa apenas para as tarefas essenciais, como ida ao supermercado ou à farmácia, quando é indispensável. Os contactos sociais devem ser evitados. Quando imprescindíveis, utilizar máscara e fazer uma frequente e correta higienização das mãos (durante pelo menos 20 segundos utilizando água e sabão). As pessoas que preferem usar luvas não podem esquecer-se que as luvas podem ficar contaminadas, pelo que não as devem levar à cara. Ainda em relação ao uso de máscara, este tem sido um ponto controverso. De qualquer forma, sabemos que os países onde esta medida foi implementada obrigatoriamente, apresentam menor número de casos COVID-19, pelo que está aconselhada a sua utilização, sempre que possível.

Pela variedade dos sintomas e da sua gravidade, não sabemos quem está ou não infetado, pelo que todos devem adotar estas medidas. Está provado que não estamos perante uma simples gripe.

Outras doenças para além da COVID-19

Não queria deixar de relembrar que existem outras doenças para além da COVID-19. Por isso, se tiver sintomas graves como dor torácica, perda de força num membro, dificuldade em articular palavras ou perda súbita de visão deve procurar aconselhamento médico urgente.

Por fim, quero deixar-vos uma mensagem de alento. Alguns sentir-se-ão ansiosos, outros revoltados com a situação que vivemos. Efetivamente, a nossa liberdade foi posta em causa. Que consigamos manter forças e não desistir. 

A desinformação nestes tempos tem sido muita, pelo que não se esqueça de procurar esclarecer as suas dúvidas junto de fontes fidedignas:

Estou ao dispor para os esclarecimentos necessários. Se necessário poderá marcar uma teleconsulta comigo. 

Ana Rita Pereira – Medicina Geral e Familiar